A IGREJA CATÓLICA, A CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2016 E O MEIO AMBIENTE

19/02/2016 16:10

   

   A natureza tem clamado, inutilmente, por misericórdia há muito tempo.

 

   No Brasil, há várias décadas, a celebração da Quaresma pela Igreja Católica Apostólica Romana é enriquecida pela Campanha da Fraternidade, que este ano está mais rica pela celebração do Ano Santo da Misericórdia.

   Os homens, dominados pela ambição desenfreada continuam destruindo o meio ambiente ignorando as funestas e palpáveis conseqüências de tal procedimento.

   Torna-se imprescindível que todos comecem, urgentemente, a refletir, à luz da fé, sobre as conseqüências do seu pecado diante da criação.

   Diante da devastação ambiental em suas diversas formas, somos convidados a olhar para a devastação de nossos corações, que, de tão fechados, já não percebem nosso planeta como um presente do Criador, como a Casa Comum, que merece e necessita ser cuidada por cada um dos seus habitantes.

   Se grande é a devastação maior é a Misericórdia de Deus e Ele espera pela nossa ação.

   Vivamos, portanto, este ano, assim como todos os dias que nos restam, acolhendo e transmitindo a Misericórdia, e dentre os inúmeros gestos de conversão, cuidemos de nosso planeta, a nossa Casa Comum.

   Comecemos dentro dos nossos lares, economizando água, reciclando óleo de cozinha e lixo doméstico, aproveitando resíduos diversos...

   E no que diz respeito aos métodos, tão inadequados e danosos, utilizados na exploração e no manuseio de nossos campos, matas, rios, jazidas minerais, etc.,  já tão enraizados, devemos nos empenhar, da forma que nos for possível, pela sua reavaliação e transformação, esclarecendo e incentivando qualquer proprietário de terra, grande, médio ou pequeno, a investir no reflorestamento, na plantação de árvores em geral, na criação de matas ciliares, na não utilização de agrotóxicos, na agricultura orgânica, na preservação de nascentes...

   Façamos a nossa parte: divulguemos tal idéia e motivemos a sua execução conforme esteja em nossas possibilidades.

   A natureza também tem seus direitos e esses devem ser respeitados pelos homens.

   Cada ser humano, esse  dito racional, deveria refletir seriamente nesta citação contida na Bíblia Sagrada, em Amós 5,24: “Quero ver o direito brotar como fonte e a justiça qual riacho que não seca.”

 

   (Texto inspirado em panfletos diversos da Igreja Católica Apostólica Romana)

 

Venerando Luiz Tassinari

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!